Com timidez e simpatia, Daniel Jobim interpreta versos do avô

Catherine Moraes

Com brilho, timidez e simpatia, Daniel Jobim se apresentou na noite deste sábado (20) durante o 18º Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica). O show intimista foi realizado no Palácio Conde dos Arcos, na Cidade de Goiás e o espaço, que ficou pequeno, deixou admiradores em pé. O pianista, cantor e compositor reproduziu as canções do avô, Tom Jobim, e fez o público cantar junto e suspirar ao som da Bossa Nova.

A primeira canção foi Água de beber e em coro, os presentes cantaram com os olhos vidrados no artista. “Tentei escolher um repertório com temática ambiental e percebi que todas as músicas são ecológicas”, sorriu ao se referir às composições do avô. Daniel também pediu apoio do público e, sem orquestra ou banda, disse que precisa que cantem junto para diminuir a solidão. “No Maracanã (abertura das Olimpíadas) também não tinha banda ou orquestra e me senti sozinho, mas mesmo assim foi bom”, sorriu ao se recordar da sua participação cantando Garota de Ipanema enquanto Gisele Bündchen desfilava.

Foto: Flávio Isaac

E o repertório continuou com Corcovado, Passarim e quando chegou a vez de Wave, o público cantou junto e forte: “Fundamental é mesmo o amor. É impossível ser feliz sozinho…”. E foi aí que o pianista anunciou que ia cantar uma música pouco conhecida, mas prometeu que todos iam gostar. Assim, começaram as primeiras notas de Garota de Ipanema. Na sequência, ele pediu sugestões e atendeu ao pedido de uma fã: Chovendo na Roseira foi a próxima canção, versos que o avô cantava ao lado de Elis Regina.

A lista de sucessos se completou com Águas de março, Chega de saudade, Samba do avião, Insensatez, Bonita demais, Samba de uma nota só e com a apaixonante Só tinha que ser com você. Para encerrar a noite, Daniel recordou da infância e de uma música que pedia para o avô cantar diariamente. “Tinha uns seis anos quando meu avô voltou dos Estados Unidos com a música Two Kites. Eu amava, e pedia para que ele cantasse todos os dias. É uma paixão”, finalizou tocando-a como última canção da noite.

Pedido atendido

Daniel, que é filho do violonista Paulo Jobim, toca piano desde os 10 anos e não se cansa de dizer que é apaixonado pelas canções do avô. Em 1995, foi vencedor do Grammy Latino como produtor do disco “Antônio Brasileiro”, na categoria Best Latin Jazz Performance e a lista de show engloba Estados Unidos e Europa.  Em 2015, ele foi jurado da Mostra Competitiva do Fica e pediu para voltar neste ano. Impossível negar o pedido deste artista!