Questão social em pauta na Mostra UEG/Fica

Jordânia Bispo

Os participantes do Fica 2016 que reservaram a manhã desse sábado, 20 de agosto, para conferir a Mostra UEG/Fica receberam um convite à reflexão sobre questões sociais. Os filmes Araguaia, de Dagmar Talga, Aquém Margens – juventude e exclusão social em área de mineração, de Alexandra de Araújo Duarte, Operação 2,80, de Gabriel Vilela e Lucas Xavier, e Matopíba, de Gustavo Ohara, abordaram temas sensíveis e que tem potencial para despertar o debate social.

Jeane Belline, membro da coordenação nacional da Comissão Pastoral da Terra, participou da sessão e disse ter gostado dos assuntos abordados nas produções audiovisuais exibidas. “Essa Mostra me levou a refletir sobre a necessidade de se ter esperança e de resistir em muitos dos conflito que nossa sociedade vive. Saio daqui inquieta e pensando em formas de transformar esses anseios em políticas públicas”, compartilhou.

Jeane Belline

Jeane Belline

O primeiro filme exibido foi a produção de Dagmar Talga. O documentário abordou a guerrilha do Araguaia no contexto da ditadura militar. Foram apresentados relatos de torturas e outros acontecimentos vividos nesse período. Dando sequência à Mostra, foi a vez deAquém Margens, que tratou da realidade de adolescentes e jovens que moram em uma comunidade carente de recursos básicos, como segurança e saneamento, e que é dividida pelos trilhos da ferrovia da Mineradora Vale, que fatura bilhões anualmente.

O terceiro documentário exibido foi Operação 2,80, que discutia, entre outros, pontos a questão da mobilidade urbana, com ênfase nas dificuldades vividas pela população com relação ao transporte coletivo. Por fim, foi apresentada a produção Matopíba. O filme discutiu Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba, instituído por meio do decreto n° 8447, que viabiliza recursos para o avanço do agronegócio brasileiro, o que vai afetar pequenos produtores e moradores das áreas rurais dos estados Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.